Data : 15/08/2014

Dados sujeitos a alteração sem aviso prévio.

O conteúdo deste material on-line não expressa, necessariamente, a nossa opinião.

Reportar erro

CNBB emite nota

CNBB emite nota pelo falecimento de Eduardo Campos
por Jéssica Marçal

eduardo

Cardeal Damasceno assina a nota e diz que o acontecimento “torna mais pobre o cenário político do país”

Da Redação, com CNBB

Arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Cardeal Raymundo Damasceno Assis, emitiu uma nota de condolências por ocasião da morte de Eduardo Campos, nesta quarta-feira, 13. Campos era o candidato à presidência da República pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) e faleceu em um acidente aéreo em Santos (SP), junto com outros tripulantes da aeronave.

Para o cardeal, “esse acontecimento trágico torna mais pobre o cenário político do país”. No dia 12 de junho, quando era pré-candidato à presidência, Eduardo Campos visitou a sede da CNBB, em Brasília, e recebeu da presidência o subsídio “Pensando o Brasil – desafios diante das eleições 2014”.

Na ocasião, Campos considerou os assuntos apresentados pelo episcopado “importantes”. “Com certeza vão contribuir para a reflexão que nós estamos fazendo e para o nosso programa de governo”, sinalizou.

Confira a íntegra da nota:

NOTA DE CONDOLÊNCIAS DA CNBB PELO FALECIMENTO DO DR. EDUARDO CAMPOS

Em nome da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB – e em meu próprio, consternados pela triste notícia do falecimento do Governador do Estado de Pernambuco e candidato à Presidência da República, Dr. Eduardo Henrique Acioly Campos, e colaboradores, vitimados pela queda da aeronave que os transportava, na tarde de hoje, 13 de agosto, expressamos nossos sinceros sentimentos de pesar à sua esposa, Srª. Renata Campos, e filhos, aos familiares e amigos, à candidata a Vice-Presidente, Srª. Marina Silva, ao Partido Socialista Brasileiro, ao atual Governador, Dr. João Lyra Soares Neto, e aos entes queridos das outras vítimas.

Esse acontecimento trágico torna mais pobre o cenário político do país, pois ceifou a vida de um homem público, cristão autêntico, esposo e pai exemplar, que fez da “política uma missão, um serviço à sociedade brasileira” e, “por esse chamado”, conforme afirmou em visita ao Presidente da CNBB, “candidatou-se à Presidência da República”.

Renovando nossa fé na Ressurreição prometida por Jesus, elevamos nossas preces pelo descanso eterno do Dr. Eduardo e das outras vítimas, pelo conforto de todos os que sofrem com essa irreparável perda.

“Brilhe para eles, Senhor, a vossa luz”!

Cardeal Raymundo Damasceno Assis
Arcebispo de Aparecida
Presidente da CNBB