Data : 31/07/2014

Dados sujeitos a alteração sem aviso prévio.

O conteúdo deste material on-line não expressa, necessariamente, a nossa opinião.

Reportar erro

Sobre conflito na Faixa de Gaza

Cardeal Maradiaga sobre conflito na Faixa de Gaza: “O caminho da reconciliação começa dentro de nós”

2014-07-31 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – O Presidente da Caritas Internacional, Cardeal Oscar Andrés Rodríguez Maradiaga, fez uma reflexão sobre o conflito na Faixa de Gaza.

“Desde o início de julho, cerca de dois milhões de palestinos em Gaza e parte da população israelense foram envolvidas numa guerra devastadora. A população não tem um lugar seguro para se refugiar quando as bombas caem nessa pequena faixa de terra, densamente povoada, que é Gaza. Ali o povo vê seus filhos assassinados, seus bairros destruídos e suas esperanças de um futuro de paz dilaceradas. O campo de batalha são os bairros cheios de homens, mulheres e crianças, hospitais lotados de feridos e mortos, e escolas bombardeadas, inclusive quando servem de refúgio”, destaca o purpurado na mensagem.
O Cardeal Maradiaga pede em nome da Caritas o cessar-fogo permanente, primeiro passo no caminho para uma paz justa, baseada nas negociações, inclusive em toda a região.
“O caminho para a reconciliação é longo, mas começa dentro de nós mesmos. O que Israel e Hamas devem fazer é depor as armas e ver que a maioria de suas vítimas são pessoas inocentes”, sublinha ainda o Presidente da Caritas Internacional.
O purpurado destaca em sua reflexão que “esta é a terceira guerra em cinco anos entre Israel e militantes de Gaza. Os palestinos de Gaza vivem uma vida em que o escasso abastecimento de água, a maioria dos alimentos vem de organizações humanitárias e está fora do alcance de seus habitantes a dignidade de ter um trabalho”.
A Caritas fornece ajuda material e espiritual ao povo de Gaza, nos momentos de necessidade e desespero, e reza pela paz na Terra Santa.
“Rezamos pelas famílias palestinas e israelenses que perderam seus filhos, mães e irmãos, e por aqueles que morreram. Rezamos pelas crianças que vivem no terror, cujas cicatrizes mentais permanecerão profundas, mesmo depois que a guerra terminar, e rezamos pelos agentes da Caritas Jerusalém e outras pessoas que trabalham no local”, sublinha ainda o Presidente da Caritas Internacional.
O Cardeal hondurenho conclui a mensagem recordando as palavras do Papa Francisco no encontro realizado recentemente, no Vaticano, entre os presidentes de Israel e Palestina: “Para fazer a paz é preciso coragem, muita mais do que para fazer a guerra”. (MJ)